Engano

Engano que enganas
Fingimento causam revoltas
Me solta!
Bolas, que coisa!
Andava no engano
É duro esse embrulho.

Tento e forcejo
Sinto um brado silêncioso
Propenso livrar-me disso
Por causa de um engano maldito.

Que grito é esse
Que me tira do sono?
Que rio é esse que me escorre nos olhos?
O que me branda eu não conheço
Eu vejo e sinto
Esse engano no peito.

Autor: Elebrak Costa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s